Employer Branding: Como as empresas constroem e se beneficiam dessa prática para criar um time engajado?

Reading time: 4 minutes

O termo employer branding já vem sendo utilizado com certa frequência no meio empresarial há algum tempo. A grande questão que acerca esse tema está relacionada à enorme concorrência de empresas em um mesmo segmento e pela grande escassez de bons profissionais.

Em outras palavras, as empresas, especialmente as startups ou aquelas que possuem uma mentalidade mais moderna, estão investindo pesado na satisfação de seus funcionários para, não só mantê-los em seu quadro de colaboradores, como também a instigar outros bons profissionais a querer uma chance na empresa em questão.

Se tivermos em mente que atualmente altos salários deixaram de ser a questão mais importante para que bons colaboradores se mantenham em seus cargos, fica mais fácil entender o conceito de employer branding e a sua importância para as corporações.

De qualquer forma, neste artigo falaremos um pouco mais sobre o tema, explicando, inclusive, como construir uma estratégia de employer branding.

O que é employer branding?

Employer branding é uma estratégia traçada pela empresa com o foco em melhorar sua imagem de maneira focada em atender as expectativas e a manter e atrair os talentos, como chamamos os profissionais que estão acima da média e possuem uma cultura intraempreendedora.

Se considerarmos a concorrência e a crise que o Brasil vive, essa estratégia pode ser o diferencial para o sucesso do negócio. Entretanto, é preciso esclarecer que atender às expectativas não está, necessariamente, relacionado ao salário dos colaboradores.

É claro que para que seja possível manter um talento é preciso contar com salários competitivos…mas não é só isso! Fazer com que um profissional vista a camisa e atue na empresa como se fosse o próprio dono requer alguns investimentos, muitas vezes, inclusive, na cultura da empresa.

DICA EXTRA: employer branding é mais que melhorar a imagem da empresa, é melhorar seu ambiente.

Qual sua importância para as empresas?

Conforme falamos, o employer branding tem como foco manter os bons colaboradores e cativar novos talentos. Com isso, a empresa consegue ganhos financeiros e culturais absurdos.

Veja a seguir alguns dos fatores que são aperfeiçoados com o auxílio de uma estratégia de employer branding bem traçada:

Recrutamento e treinamento

Sabemos que não é fácil encontrar profissionais capacitados e com feat cultural, por isso, quando encontrados, a empresa investe muito tempo e dinheiro no treinamento destes colaboradores.

No caso de empresas sem uma estratégia voltada para a retenção de seus colaboradores é grande o número de turnover, fazendo com que todo esse processo precise ser recomeçado de novo…e de novo.

Cursos e investimentos

Empresas que entendem estar lidando com talentos não economizam na capacitação deste colaborador, entretanto, por vezes, as empresas deixam de investir no pagamento de cursos por entender que o colaborador pode utilizar esse conhecimento em outras empresas.

Agora, com o employer branding, elas tendem a se sentir mais seguras quanto a este tipo de investimento, afinal, para que esse colaborador saia do seu quadro, a proposta oferecida pela concorrência precisaria ser realmente irrecusável.

Geração de mídia espontânea

Ainda hoje, a melhor propaganda é a boca a boca (ainda que seja através das redes sociais) e, neste caso não seria diferente. Colaboradores satisfeitos tendem a falar bem de seus trabalhos e empregadores facilitando que estejam no radar de grandes talentos e até clientes.

Colaboradores felizes produzem mais

Por fim, e não menos importante, colaboradores felizes produzem mais. Em outras palavras, o colaborador entende que a empresa está preocupada com seu bem estar e está investindo nele e, em troca, ele passa a produzir com maior atenção e empenho.

Como construir uma estratégia de employer branding?

Para finalizar este artigo, falaremos sobre 4 fatores fundamentais para que o employer branding seja bem traçado. Veja:

  1. Objetivos e estratégias: como em qualquer nova ação dentro do meio corporativo, o primeiro passo é traçar os objetivos e as estratégias que serão usadas. A dica aqui é buscar um diferencial e, claro, compreender possíveis limitações financeiras, de espaço ou qualquer outro fator peculiar à empresa;
  2. Engajamento: para que o employer branding funcione é preciso que a iniciativa comece de cima, por isso, faça com que os líderes participem das tarefas e dessa mudança cultural. É fundamental que os líderes entendam os porquês desta nova estratégia;
  3. Integração: procure incentivar a integração todos os setores da empresa. De nada adianta valorizar bons colaboradores de um setor e ignorar os demais… employer branding é sobre a empresa como um todo e não um setor isolado;
  4. Acompanhamento: por fim, acompanhe a estratégia. Muitas vezes, tarefas tidas pela diretoria como agradáveis podem não ter o mesmo efeito com os colaboradores. Aqui, a dica é dar voz aos funcionários para entender suas necessidades e expectativas.

Bom, o employer branding não chega a ser um bicho de sete cabeças, mas também não é a tarefa mais simples do mundo, por isso, o importante é procurar uma comunicação bilateral entre empresas e colaboradores, afinal de contas, um time engajado beneficia, SEMPRE, as duas frentes.

 

About Guilherme Junqueira

Empreendedor, Educador e Recrutador.
CEO da Gama Academy